Iniciar sessão

Recuperar senha

A LEICAR - Associação de Produtores de Leite e Carne, é uma entidade de Direito Privado, que representa os agricultores seus associados perante as entidades oficiais, bem como perante associações e organizações nacionais ou estrangeiras, incluindo as da Comunidade Europeia.

Orgãos Sociais

Direção

José Campos Oliveira

Presidente

Rui Manuel Pereira Sousa

1º Vice-Presidente

Duarte Nuno Alves Santos

2º Vice-Presidente

José Ferreira Campos

Secretário

Carlos Salgueiro Sá da Silva

Tesoureiro

Jorge Manuel Santos Matias

1º Vogal

António Carlos Pereira Novais

2º Vogal

Assembleia Geral

Presidente

Luís Pedro Amorim Pereira Vilar

Vice-Presidente

Vitor Manuel Bertão Carvalho

Secretário

Maria Rosália Silva Porto Maia

Secretário

Félix Manuel Ramires Marques

Conselho Fiscal

Presidente

Manuel Azevedo Ramos

Relator

António Carlos Faria Gomes de Rocha

Vogal

Júlio Ferreira da Silva

Contabilidade e Gestão

Presidente

Paulino da Silva Amorim

1º Secretário

Adriano dos Santos Matias da Silva

2º Secretário

Domingos Faria Rodrigues do Monte

Formação Profissional

Presidente

Manuel Joaquim Faria Azevedo

1º Secretário

Maria Irene Vilas Boas Ferreira

2º Secretário

Celestino Porfírio Gomes Matias da Silva

Prestação de Serviços e Fatores de Produção

Presidente

João Francisco Lopes Martins

1º Secretário

António Carlos Loureiro Martins

2º Secretário

Francisco Carreira da Silva

Direção (Suplentes)

José Manuel Sá Santos
Celestino Ribeiro da Costa Ferreira

Conselho Fiscal (Suplentes)

Adriano Alberto Padrão da Costa
José Pedro Ferreira da Silva
José Faria de Oliveira

Historial

Tem como fins estatutários:

a) Promover o esclarecimento dos seus associados sobre as linhas de desenvolvimento da agricultura nacional e o seu enquadramento com a PAC - Política Agrícola Comum;
b) Esclarecer e apoiar na consecução de benefícios financeiros comunitários e nacionais aos agricultores seus associados e suas explorações;
c) Fomentar o desenvolvimento agrícola na sua área de acção através de serviços prestados aos seus associados, nomeadamente no que se refere ao uso de equipamentos colectivos, contabilidade agrícola e outros;
d) Incentivar a produção de leite e carne e seu melhoramento qualitativo, considerando-se a área de actuação da Associação como privilegiada para o efeito;
e) Colaborar com as entidades competentes na definição de políticas sectoriais relativas aos produtos dos seus associados, bem como na política de preços;
f) Promover a reestruturação do plantio da vinha;
g) Promover o redimensionamento e a rentabilização das explorações agrícolas, adequadas à integração da Agricultura Portuguesa na U.E;
h) Aproximar o produtor do consumidor, encurtando sempre que possível as redes de distribuição;
i) Cuidar da promoção sócio-profissional dos seus associados;
j) Desenvolver acções na área da sua actuação que protejam os agricultores em geral, independentemente da sua qualidade de associados;
k) Promover e incentivar práticas culturais de protecção e produção integradas nas diferentes culturas da região, visando a implementação progressiva de uma agricultura sustentável, preservadora do ambiente e recursos naturais.

Constituiu-se por escritura pública em Agosto de 1986 por iniciativa de um pequeno grupo de agricultores do concelho da Póvoa de Varzim, com o objectivo de responder aos desafios da integração de Portugal na União Europeia. Tendo em conta os objectivos acima referidos, em 1987 assinou um protocolo com o Ministério da Agricultura que visava o apoio oficial a iniciativas de carácter técnico, concretamente a contratação de um Eng.º Zootécnico.

No final de 1987 a LEICAR tinha oitenta e sete associados. Estavam realizadas as primeiras eleições dos Orgãos Sociais que, entretanto, realizaram diligências para obtenção de subsídios comunitários através da Divisão de Associativismo e Gestão da Empresa Agrícola. Contratado um técnico para apoio à sede social, feitas as primeiras palestras e realizadas viagens de estudo a explorações tecnicamente evoluídas, a LEICAR teve, de facto, em 1987 o ano da sua implantação.

Em 88, e porque se desenvolveu o trabalho iniciado um ano, a Direcção Geral de Planeamento e Agricultura emitiu o Título de Reconhecimento dos Serviços de Gestão da LEICAR, que igualmente foi reconhecida como Agrupamento de Produtores. 89 marcou o início da execução da Contabilidade Fiscal de 54 explorações, com total informatização. A LEICAR iniciou contactos com outras Associações similares e teve papel preponderante no 1º Encontro Nacional de Produtores de Leite , em Aveiro.Assumindo a ruptura com a política de preços do Sector Cooperativo, em 1990, abre a LEICAR um armazém para os seus associados.

Marco histórico foi o arranque de um ambicioso programa de Formação Profissional que, neste ano, contemplou acções nas áreas de Operadores de Máquinas Agrícola, Contabilidade e Gestão, Fertilização do Solo e Pecuária Leite, num total de 525 horas de formação. Refira-se que pela primeira vez, realizaram-se na Póvoa de Varzim acções de formação orientadas exclusivamente para a mulher agricultora. Em 19 de Setembro, respondendo a solicitações de empresários agrícolas de concelhos vizinhos, a Assembleia Geral da LEICAR, deliberou alargar a sua área de acção a todos os concelhos do Entre Douro e Minho.

Em 91, com a passagem da LEICAR a Associação Regional, marcou o reforço do espírito associativo, demonstrado pela grande adesão de novos associados e, sobretudo, pelo importante papel da Associação na liderança da maior movimentação de Agricultores ocorrida no Entre Douro e Minho. Em 1992, a Associação, visando melhor organização dos seus serviços, passou a ter 3 secções: Contabilidade e Gestão, Formação Profissional e Prestação de Serviços e Factores de Produção. Foi neste ano que a LEICAR promoveu o seu primeiro Seminário “A Reforma da PAC e suas incidências no Entre Douro e Minho”, pleno de oportunidade, uma vez que tinha acabado de ser negociada a reforma da PAC, e que significou um passo importante na caminhada da LEICAR ao serviço – efectivo, sério, permanente - da Agricultura Regional.

Em 1993, é realizado, em Braga, outro Seminário “Recolha, Transformação e Comercialização dos Produtos Agrícola face ao Mercado Único”, tendo ainda a LEICAR promovido diversos colóquios e participado em iniciativas de outras organizações, que contribuíram, decisivamente, para a afirmação da LEICAR no sector agrícola nacional.

Em 1994, a LEICAR assina um protocolo com a Parmalat, passando um grupo de associados a fornecer leite a esta empresa. Isso contribuiu, por um lado, para um aumento imediato do preço do leite pago à produção e por outro, obrigou a uma reestruturação do sector cooperativo. É neste ano que a LEICAR, se associa na CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal, assumindo desde logo um importante papel ao participar na política de orientação do sector leiteiro nacional.

Nunca se acomodando e procurando sempre novas soluções para a agro-pecuária nacional, em 1995, decide apresentar ao IFADAP dois projectos, um visando a construção de um Mercado de Gado e outro para a construção de um Centro de Recolha de Leite. Para tal constituiu duas novas empresas, respectivamente LEICAR – Comércio de Bovinos, S.A. e LEICAR – Produtos Lácteos, S.A., esta última alterada em 1999 para LEICARCOOP – Cooperativa dos Produtores de Leite, CRL. Ainda em 1995, decide a LEICAR pôr em marcha um novo serviço aos associados, o Subcentro Público de Inseminação Artificial. Para tal candidata-se às ajudas do PROAGRI, que após aprovação, permitiu a contratação de um médico veterinário, um administrativo e dois inseminadores.

Tendo conseguido a representação para o Norte de Portugal de uma das mais conceituadas empresas de genética mundial, a LEICAR entendeu apostar também na importação de novilhas de alta genética, no decurso de 1996, procurando responder às solicitações dos associados. Em boa hora o fez, pois é já uma referência na qualidade dos animais que importa da Holanda, Alemanha e Dinamarca.

Os anos que se seguiram foram de desenvolvimento e consolidação das actividades e serviços entretanto criados, de “luta” pela aprovação dos projectos junto dos organismos oficiais, de contactos frequentes com o Ministério da Agricultura e Governo alertando-os para as dificuldades da nossa agricultura e para as resoluções comunitárias mais penalizadoras para Portugal, procurando sempre alternativas e não descurando nunca os aspectos reivindicativos como associação de defesa do sector.

1999 foi certamente um ano marcante na curta existência da LEICAR, uma vez que foi o de início de actividade da LEICARCOOP – Cooperativa dos Produtores de Leite , CRL, com recolha de leite aos seus associados e o seu envio para uma das maiores indústrias lácteas de Espanha, alargando mais tarde o fornecimento de leite a outras empresas nacionais e internacionais, contando hoje com uma recolha e comercialização de mais de 250.000 litros diários. Ainda em 99, tivemos a grata satisfação de ver aprovado o Projecto para a Construção do Mercado de Gado e Parque de Leilões.

Cerimónia de inauguração do mercado de gado, a contratação da empreitada e das especialidades, o acompanhamento da construção, obrigou-nos a uma dedicação quase exclusiva durante os dois anos (2000/2001) que durou, mas entendemos que valeu a pena. Esta estrutura foi Inaugurada pelo Primeiro Ministro António Guterres em 20 de Fevereiro de 2002, e é hoje sede de três empresas, LEICAR – Associação dos Produtores de Leite e Carne, LEICAR – Comércio de Bovinos, S.A. e LEICARCOOP – Cooperativa dos Produtores de Leite, Crl, que no seu conjunto constituem o que podemos apelidar de UNIVERSO LEICAR.

Instalações

Agroleite

Pecuária

Concurso Anual da Raça Holstein Frísia Agroleite

O concurso decorre, normalmente, no Sábado e no Domingo da penúltima semana de Julho. Tendo como habitual, a presença dos melhores animais leiteiros do país, sendo este o momento mais alto da Feira Agrícola.

Máquinas e Serviços Agrícolas

Tratores e Alfaias/ Equipamentos/ Serviços

A privilegiada localização da Agroleite no centro da principal bacia leitera do país, faz com que este certame seja também o local de eleição para os diferentes agentes económicos do sector agro-pecuário. As mais prestigiadas marcas e empresas de maquinaria agrícula, equipamentos e serviços de áreas tão abrangentes como a nutrição e a alimentação animal, melhoramento genético, especialidades veterinárias, informática, indústria farmacêutica energias renováveis e bio-tecnologia estão presentes na Agroleite.

Seminários e Colóquios Técnicos

Assumindo-se como um dos mais importantes certames do setor agro-pecuário, Agroleite pretende prosseguir o papel de veículo privilegiado de promoção e divulgação do mundo rural, promovendo a realização de um seminário, sobre temas e problemáticas que dominam e preocupam o setor leiteiro, com a participação de especialistas de reconhecida competência, bem como a realização de alguns Cóloquios Técnicos que proporcionem aos participantes aquisição ou atualização de informação e conhecimentos.

Produtos Regionais

Com o objetivo de promover e dar a conhecer a todos quantos nos visitam o que bom se faz no país e sobretudo nesta região, estando presentes na Agroleite, expositores de produtos regionais certificados de diferentes áreas como lacticínios, charcutaria, mel, vinhos, azeite e doçaria, com a máxima garantia de qualidade e respeitando os sabores tradicionais da gastronomia regional. Encontram-se à disposição de todos os visitantes e expositores quatro Restaurantes de Raças Bovinas Autóctones, onde todos poderão degustar a excelência dessa carne.